pub-1948941825289788
 

Bolsa de Turismo de Lisboa Em uma palavra, ou duas: Seixal Cultural


Arranca a 31ª edição da BTL - Bolsa de Turismo de Lisboa nesta quarta-feira, o palco da maior indústria do mundo, a do Turismo, em cena durante cinco dias, profissionais e público irão interagir com as tendências, serviços e produtos nacionais e internacionais do setor. É o que esperam os organizadores que, nesta edição, homenageiam o município do Seixal, a outra margem do Tejo, como dizem os que estão em Lisboa, ou até mesmo os fomentadores de investimento na região, ao criarem o “brand name” The Lisbon South Bay.

Seixal recebeu em 2017 o Prémio para a Melhor Programação Cultural Autárquica, atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores, não por acaso a BTL CULTURAL abre este ano um espaço dedicado à cultura e à divulgação dos agentes culturais enquanto promotores do setor turístico, o BTL CULTURAL - where culture meets tourism m

Com tanto inglês na ponta da língua, seriam os Britânicos ou os Americanos do Norte a bola da vez? Nem um nem outro, como veremos adiante. O inglês parece ser apenas, neste caso, uma bóia salva-vidas na hora da comunicação de turistas – não fala francês, português, espanhol, árabe, alemão, russo…, vai de inglês mesmo e curte o programa, na volta para casa, como sempre, leva-se boas lembranças, um bocadinho da cultura local e tudo bem…

Pessoas & Palavras quis ouvir da Diretora de Coordenação de Exposições na Feira Internacional de Lisboa (FIL), organizadora de várias Feiras como a BTL - Bolsa Turismo de Lisboa, Alimentação, Nauticampo, FIA - Feira Internacional de Artesanato, com a palavra a Sra. Fátima Vila Maior:

PP - Qual a expectativa da BTL, referente ao público deste ano em relação aos anteriores, números por favor e qualidade?

FVM - As expectativas para a 31ª edição da Bolsa de Turismo de Lisboa são as melhores. O ano passado a BTL revelou-se um sucesso em termos de oferta e visitantes e este esperamos igualar ou ultrapassar a edição anterior. Na 30ª edição a BTL atingiu o número de 77.000 visitantes, 39.000 profissionais do setor e 38.000 visitantes durante o fim de semana. O setor do Turismo continua em alta no nosso país, os números de turistas e taxas de ocupação falam por si e para além disso está a conseguir combater e diminuir a sazonalidade o que confere ainda maior sustentabilidade económica. Esta edição da BTL vai ocupar 4 pavilhões o que representa um aumento considerável de participantes do, e que, o setor deseja. Temos também mais destinos e o objetivo é igualar o número de visitantes da edição de 2018, que foi fantástico.

PP - Muda alguma coisa em relação à situação do BREXIT?

FVM - Os turistas Ingleses são muito importantes para Portugal sobretudo para a região do Algarve, contudo esperamos que o Brexit não traga alterações significativas para os viajantes que nos visitam. Para o turista, e apesar das profundas mudanças económicas e políticas que o Brexit acarreta, no essencial pouco muda, uma vez que o Reino Unido já não pertencia ao Espaço Schengen e nunca usou o Euro como moeda. Acredito que os turistas ingleses que nos visitam anualmente não o vão deixar de fazer por causa desta situação.

PP - Em relação à participação estrangeira, a América do Norte, por exemplo, tem representatividade?

A América do Norte ainda não vai estar representada nesta edição, mas os EUA são um mercado que cada vez mais portugueses procuram. As novas rotas para Miami - a ligação dos cruzeiros via Flórida é muito importante – ou São Francisco – são um bom exemplo do crescimento deste mercado que cada vez mais usufrui dos nossos viajantes. Não temos a América do Norte, mas vamos ter destinos como Tanzânia, Seychelles, Jamaica e Malta (este destino, por exemplo, é a primeira vez que se promove na BTL) e gostaria ainda de destacar a presença da cidade e de um conjunto de hoteleiros da região de Huelva. Para os portugueses, Espanha continua a ser um dos principais destinos de férias e a crescente participação de cidades e regiões espanholas é muito importante para nós e para os visitantes da BTL.

PP – Freguesias como o Seixal e longe de Lisboa, o que a Sra. comenta?

FVM - A Bolsa de Turismo de Lisboa sempre investiu na participação de regiões e Concelhos nacionais, com o objetivo de promover locais que pela sua dimensão, proximidade com as principais cidades ou por se situarem no interior são muitas vezes ilustres desconhecidos dos portugueses. Este ano o Município convidado é o Seixal o que deixa a organização da Feira extremamente satisfeita. O Seixal é uma área com uma cultura característica dos povos ribeirinhos, com uma história ligada ao operariado e à pesca que é importante divulgar e preservar. Nos últimos anos este Concelho tem investido na reconversão de equipamentos culturais, na sua frente ribeirinha e tem desenvolvido uma estratégia de atração de investimento para o desenvolvimento hoteleiro. Há muito para descobrir na região do Seixal e é isso que queremos mostrar aos visitantes da BTL.

PP – Quais as novidades deste ano na BTL?

FVM - Este ano a BTL vai aumentar em número de expositores e em dimensão em alguns expositores que nos acompanham há alguns anos. As que aumentam mais são as entidades e associações municipais, que de ano para ano asseguram cada vez mais e melhor a sua presença e o setor das tecnologias e equipamento na área da BTL LAB. Este ano também através da BTL Cultural a grande novidade de 2019, haverá mais expositores de agentes e promotores culturais a nível nacional. O futuro, com o LAB e a Cultura estará muito bem representado nesta edição da BTL.

Acompanhe aqui na Conversa no Pier, o que acontece na BTL - Bolsa de Turismo de Lisboa. Nenhum outro site contextualiza notícia e opinião como a Conversa no Pier, uma e-zine de Pessoas & Palavras Lda.

Personalidades, tais como o Presidente Marcelo, e o Presidente da Câmara do Seixal comentam o Prémio 2017 para a Melhor Programação Cultural Autárquica

#turismo #seixal #lisboa #btl #feira #eventos #economia