pub-1948941825289788
 

Bamberg Health: Voz na palma da mão pode salvar uma vida, ou melhorar a saúde. Inovação.

Atualizado: há 3 dias


Imagem: Guta De Carvalho - Painel Hospital Inteligente: Equipamentos e Tecnologias Inovadoras. Além de suas fronteiras

oPONTO NEWS – H2BLUE conversou com altos executivos da Alcatel-Lucent Enterprise, um dos principais patrocinadores do Portugal Healthcare Innovation Summit que ocorreu no Ramada Wyndham Hotel neste 21 de Setembro, 2022 e entre as vozes energizadas dos participantes, executivos de alto nível, profissionais da saúde e da cadeia de suprimento do setor para inovação e fármacos, soube da Alcatel-Lucent Enterprise que é justamente a “voz” que poderá salvar uma vida ou melhorar a saúde ao final do dia para um utente, paciente, cliente ou usuário, qualquer que seja o rótulo que queiramos dar a nós mesmos. Porque cada um de nós é no mínimo potencialmente um desses rótulos.


Imagem: Guta De Carvalho - Hospital Inteligente: Equipamentos e Tecnologias Inovadoras. Além de suas fronteiras

Não por acaso NOS é outro patrocinador presente ao evento junto a Jazz Pharmaceuticals, SANDOZ, LIFESCAN, AWS – Amazon, Common, Alexion AstraZeneca Rare Deseas, CGI, TEVA, Salesforce, Capgemini, CBRGENOMICKS e Idonia.


Luis Coelho, Business Developer Manager e Key Account Manager Portugal, Angola, Cabo Verde e Moçambique da Alcatel-Lucent Enterprise destacaram a posição da empresa nos principais segmentos em que atuam, onde a saúde representa de 15% a 20%. A Alcatel-Lucent Enterprise tem 100 anos de existência e tem como base o modelo de negócio indireto através da sua rede de parceiros. Luis Coelho e Nuno Leão destacam em sintonia que “a voz, ao final das contas é o que as pessoas precisam nos seus mais diversos cenários de interação”, e a sáude é cada vez mais uma área em que a voz tem sido utilizada de várias formas. A Alcatel-Lucent Enterprise possui uma vasta experiência no sector da Saúde, endereçando todos os seus desafios com soluções de comunicação de dados, voz e colaboração, desenvolvidas e construídas para dar respostas aos desafios mais exigentes.


Imagem: Guta De Carvalho - Equipa Bamberg Health

Os 11 exaustivos painéis do Portugal Healthcare Innovation Summit dissecaram exactamente este resumo aparentemente simplório em que cada orador e debatedor procurou sintetizar assuntos complexos e transversais que permeiam a sáude, isto é, a medicina moderna, a tecnologia digital e as várias experiências inovadoras desde os processos de agendamento de consultas e acompanhamentos de doentes à Inteligência Artificial adotada para diagnósticos e tratamentos remotos.


Eis os destaques de 11 horas de interconexão de executivos de alto nível em que estiveram presentes no auditório do Ramada Hotel próximo de 300 profissionais de saúde e de tencologia voltada para este segmento que impacta a toda gente, e mais de 400 inscritos na plataforma online do evento:


ABERTURA:


Luís Goes Pinheiro, Presidente Serviços Partilhados do Ministério da Saúde


Destaques:

Imagem: Guta De Carvalho - Luís Goes Pinheiro Presidente SPMS

“Estamos tão empenhados na aplicação dos fundos do PRR, como estivemos na pandemia”, defendeu Luís Goes Pinheiro na abertura do ‘Portugal Healthcare Innovation Summit’, que decorreu nesta quarta-feira, em Lisboa. O presidente da Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) elegeu como fundamental a transformação “da área da saúde para fazer um mundo melhor” e prometeu total empenho da SPMS nesse desiderato.


Na sua intervenção, o dirigente da SPMS apresentou os principais projetos de Transição Digital na Saúde, que integram o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), assentes em quatro pilares: Infraestruturas, Cidadãos, Profissionais de Saúde e Dados. “São 113 projetos ao todo”, precisou.


“A estratégia passa por começar pelo terreno e melhorar as condições de trabalho dos profissionais de saúde”, destacou Luís Goes Pinheiro. O dirigente sublinhou ainda que o Cidadão é o principal foco do PRR “com o objetivo de aumentar o acesso e a telessaúde”.


HEALTHCARE DIGITAL TRANSFORMATION

1. Painel : Novos Desafios para a Inovação na Assistência Médica

Moderator: Ignacio Balboa, Patrono de la Fundación Bamberg

Speakers:

➢ Rui Santos Ivo, Presidente do INFARMED, I.P.

➢ Paulo Morgado, Presidente do conselho diretivo da Administração Regional de Saúde do Algarve, I.P

➢ Joana Mendonça, Presidente Agência Nacional de Inovação (ANI)

➢ Graça Freitas, Diretora-Geral na Direção-Geral de Saúde, DGS de Portugal (*)

➢ Luis Coelho, Business Developer Manager, ALE


Destaques:

“A pandemia Covid19 provocou um impacto global irreversível, é um facto, mas a inovação sempre existiu…. Em todo o lado e no Algarve, por exemplo, não foi diferente. A pandemia trouxe mais colaboração na saúde e para além disso. Um dos legados inevitáveis foi o estreitamento de laços entre colaboradores; o telesaúde passou a ser mandatório; uma alteração de paradigma, o doente passou a ser o centro, o médico tinha uma agenda própria mas agora o médico passa a ser proativo; um relacionamento diferente entre médicos e doentes, o medico ir ao doente…”


“A Inovação das vacinas, os medicamentos, o modo como são avaliados os medicamentos, e no contexto Europeu a utilização de dados compartilhados passou a ser uma demanda visível, audível entre os profissionais; junto com a prevenção…”


“Inovação tem ciclos muito grandes, longos os medicamentos podem levar 20 anos, o grande desafio é o lado humano.”


“A comunicação tem impacto muito grande, as teorias negacionistas, tecnologia das ideias, a falta de mecanismos de controle…”


“Portugal tem de ser mais transparente e precisa ter mais acesso a dados.”


Luis Coelho, General Manager Portugal da Alcatel-Lucent Enterprise sublinhou que “não voltaremos para o passado… muitas aplicações que existiam, que já tínhamos, mas não eram utilizadas, softwares e plataformas, estão agora à disposição e sendo buscadas…”


“A robótica é uma tendência irreversível também na saúde, mas uma visão conservadora deve ser preservada porque está em causa a vida das pessoas.”


“A área de saúde mental na fase da infância, a psiquiatria da infância, carrega uma carência, é um deserto e merece ser olhada com mais atenção”.


Por fim, o moderator, Dr. Ignacio Balboa, Patrono de la Fundación Bamberg, deixou uma metáfora para reflexão:


“Devemos procurar ajuda na CIA, não a central de inteligência americana, mas à Ciência, a Indústria e a Administração”.


2. Painel: Fomentando a saúde digital: implementando um novo ecossistema de saúde

➢ Afonso Duarte, National Contact Point and Delegate for the EU Framework Programme (Horizon Europe)- Health sector. AICIB

Speakers

➢ Luís Pisco, Presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo

➢ Herberto Jesús, Diretor Regional de Saúde. Governo Regional da Madeira

➢ Luis Frías Oliveira, Public Sector Senior Executive, Salesforce


Destaques:

“Ou fazemos melhor e diferente ou não conseguiremos fazer alterações nos nossos sistemas. O envolvimento dos decisores é importante, a pandemia no uniu e este é um processo permanente. O cidadão é o centro; menos esforço móvel; envolver o cidadão no tratamento; trabalhar com o cidadão comum e saber que o cidadão perfeito não existe, porque nós somos parte dessa massa de cidadãos”.


“A visão deve ser holística e parte da prevenção da doença o início do tratamento”.


“Personalizar o atendimento é uma tendência irreversível.”


“Como fazer com que um idoso se alimente corretamente?”



Imagem Guta de Carvalho - (L/R) Henrique Amaro, Nuno Leão e Luis Coelho - Alcatel-Lucent Enterprise

3. Painel: Apresentação Alcatel-Lucent Enterprise: “A Transformação Digital na Melhoria dos Cuidados de Saúde”

➢ Henrique Amaro, Business Line Manager, ALE

A Transformação Digital na Melhoria dos Cuidados de Saúde pdf
.pdf
Download PDF • 3.44MB

4. Painel: O papel transformador da telemedicina

Rafael Franco, Innovation Lab Coordinator | Telehealth | Digital health SPMS

➢ Márcio Navalho, Chair of “Medicine 4.0”, Nova Medical School. CEO, Centro de Telemedicina

➢ Abel García Abejas, Médico, Profesor de Bioética en la Universidade da Beira Interior, Universitat a Covilhã. Coordinador del equipo intra-Hospitalar de cuidados paliativos del Hospital LUSIADAS Lisboa.

➢ Lino Manuel Martins Gonçalves, Chefe do Serviço de Cardiologia Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, EPE

➢ António Marciano Lopes, Coordenador e Responsável das Teleconsultas ARS Alentejo

➢ Rita Pérez, Presidente do Conselho de Administração. Centro Hospitalar Universitário de Lisboa OCCIDENTAL


Destaques:

“Transformação de paradigma na medicina: os currículos médicos não estavam programados para esta disrupção, a Medicine 4.0”


“Nada é linear, e a telemedicina envolve áreas transversais que incluem relatórios para companhia de seguros, forenses e outros e ainda, falta literacia digital, este é um complicador latente.”


“O conhecimento da digitalização entre utentes é desigual, desnivelado, no que se refere à aprendizagem também.”


“A cardiologia, uma área nevrálgica, tornou-se altamente tecnológica, e interage com muitas áreas diferentes e inclusive fora da medicina, como a matemática, a quântica, a instrumentação de alta tecnologia, de imagens e sons e de vários sensores, instalados e remotos.”


“Há experiências em Portugal em que a telemedicina reduziu 60% do envio de doentes para o hospital (Coimbra); dos 40% apenas 30 ficaram internados.”


“Foi citado um caso no Alentejo em que foram poupados 2,5 milhões de euros, com a telemedicina.”


“A Educação médica, entretanto, deve ser continuada, assim como o contacto com a família dever ser estimulado mais e mais.”


5. Painel: Inovação na Terapêurica & Pharma – Acesso aos Medicamentos

Moderator: Carlos Macedo, Medical Director Alexion Spain and Portugal

Speakers:

➢ Ana Elisabete Pires, Neurofibromatosis Portuguese Association

➢ Patrocínia Rocha, Diretora Serviços Farmacêuticos, Centro Hospitalar Universitário do Porto

➢ Nadine Ribeiro, Membro da Comissão de Farmácia e Terapêutica da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, I. P

➢ Clementina Varelas, Diretora dos serviços farmacêuticos do Instituto Português Oncologia de Coimbra Francisco Gentil

➢ Duarte Salgado, Diretor do Serviço de Neurologia IPO Lisboa

➢ Maria Nazaré Rosado, Farmacêutica Coordenadora Farmacotecnia na Hospital da Luz


Destaques:

“O alto preço dos medicamentos e o custo passados para a instituição.”


“Para as doenças raras, em Portugal, o diagnóstico deve ser precoce, mais cedo.”


“A solidariedade e ética é o que precisa ser oferecido às pessoas.”


“Partilha de informação no âmbito da telefarmácia, ambas fundamentais.”


“Transmitir informação correta aos doentes para não transmitir falsas expectativas; monitorização dos resultados: a toxidade de certos medicamentos compete muitas vezes com o quadro patológico original do paciente.”


6. Panel: Avanços em Inovação Terapêutica

Moderator: Rosana Cajal, Senior Medical Director Spain and Portugal, Jazz Pharmaceuticals

Speakers:

➢ Joana Magalhães, Medical Oncologist Consultant at Centro Hospitalar Universitário do Algarve

➢ António Melo Gouveia, Hospital pharmacist at Hospital das Forças Armadas. Vice president of the health technology assessment committee (CATS - Comissão de Avaliação de Tecnologias de Saúde) of INFARMED

➢ Catarina Geraldes, Serviço de Hematologia Clínica Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra

➢ Jorge Ferreira, Jefe de Serviço de Cardiología CHU Lisboa Occidental

➢ Isabel Fernandes, Serviço de Oncologia Médica Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte, E.P.E.


Destaques:

“Tratamentos menos tóxicos tem sido alcançados.”

“Inovação no diagnóstico por smartphones - a translação do conhecimento no meio médico hospitalar e ambulatorial; o acompanhamento das terapêuticas.”

“O objetivo da inovação na terapêutica deve ser conseguir mais tempo de vida com qualidade para o doente, isso também é um parâmetro de avaliação.”

“Ciência e nova crença equilibradas; se o investimento forem todos para tecnologia não terá para as pessoas, os profissionais.”


7. Panel: Inovação em Gestão de Farmácia

Moderator: Ana Margarida Freitas, Presidente. Associação Portuguesa de Farmacêuticos Hospitalares

Speakers:

➢ Catarina de Oliveira Coelho, Presidente da Comissão Regional de Farmácia e Terapêutica da ARS Centro

➢ João Paulo Lopes da Cruz, Diretor Serviço de Gestão Técnico-Farmacêutica Hospital Santa María de Lisboa

➢ Claudia Santos, Diretora de Farmácia e do Medicamento Luz Saúde

➢ Helena Farinha, Pharmacy Coordinator at Egas Moniz Hospital - Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental


Destaques:

“O aparato regulatório deve evoluir para streamline o sistema e permitir a inovação ser inserida porque está disponível e pode melhorar o sistema.“

“A inovação está focada para melhorar a relação da Farma com o Doente, onde o papel do farmacêutico é fundamental.”

“O pessoal do sistema está sobrecarregado, somente com recursos inovadores este problema será resolvido e isto implica na reforma do sistema hospitalar, em Portugal.”

8º Painel: Hospital Inteligente: Equipamentos e Tecnologias Inovadoras. Além de suas fronteiras

Moderator: Dulce Salzeda - Jornalista SIC

Speakers:

➢ Rita Veloso, Executive Board Member@Centro Hospitalar Universitário Porto

➢ Nuno Jorge, Diretor Serviço Instalaciones y Equipamientos CHU Lisboa Norte

➢ João José Baeta Leitão, Diretor Serviço de Imagiologia Geral CHU Lisboa Norte

➢ Sulaiman I.S. Abuhaiba, Senior Research Fellow, Reference Center for Refractory Epilepsy, CHU Coimbra

➢ Delfim Pereira Neto Rodrigues, Responsável pela dinamização das Unidades de Hospitalização Domiciliária nos hospitais do SNS

➢ Manuel Ramalho Eanes, Executive Board Member of NOS SGPS


Destaques:

“A Inteligência Artificial está crescendo na medicina, é uma ajuda e não um mito; os robôs não necessariamente substituirão o cirurgião, é um recurso adicional, apenas, o médico é o ator fundamental do outro lado, entre doente e sistema de saúde, o hospital, o consultório, o atendimento remoto.”


“A tecnolgia pode identificar problemas não percebidos pelos diagnósticos tradicionais; além disso, uma imagem é ilustrativa para o paciente ajuda a relação entre o paciente e o terapeuta.”


“O hospital do futuro está na nossa casa, uma forma de decentralização do sistema de saúde.”


“Interação digital, auxiliar no diganóstico.”


“O serviço nacional de saúde deve buscar organização e não hierarquização.”


“Não devemos fazer novas perguntas, mas buscar respostas para as perguntas que já foram feitas, incessantemente.”


9. Painel: Como a inteligência artificial está remodelando a saúde

Moderator: Ana Teresa Freitas, Full Professor at the Department of Computer Science and Engineering at Instituto Superior Técnico (IST), University of Lisbon

Speakers:

➢ Pedro Couceiro, Diretor do Serviço de Gestão de Sistemas de Informação no Instituto Portugués de Oncologia. Coimbra

➢ Maria Manuel Salazar, Diretora do Serviço de Sistemas de Informação do Centro Hospitalar Universitário de Porto

➢ Fernando António Félix de Melo, Diretor do Serviço de Sistemas de Informação do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte

➢ Ana Rita Londral, Director at Value For Health CoLAB

➢ Renato Magalhaes, IT Diretor Instituto Português de Oncologia do Porto (IPO-Porto)


Destaques:

“A recolha da medicação; o diagnóstico; a gestão de atendimento dos diagnóstico, das consultas, incluindo a triagem; qual o cenário óptimo para uma determinada demanda? A AI pode optimizar e auxiliar a gestão de um atendimento humanitário adequado, mais rápido.”


“A machine learning para leitura de voz, textos e diagnósticos, são inovações antes disponíveis e não aplicadas.”


“O acompanhamento via telemóvel, desde sintomas reportados pelo doente à visualização de feridas cirúrgicas, para diagnóstico de acompanhamento.”


“A cultura da partilha, dados abertos e aprimoramento da semântica, a dicionarização multidiciplinar são fundamentais para a melhoria da Inteligência Artificial.”


10. Apresentação da CBR Genomics: Healthcare 5.0: Trazendo de volta o toque humano aos cuidados de saúde

Imagem Guta de Carvalho - CBRGENOMICS

➢ Ana Caterina Gomes, CEO CBR Genomics

Destaques:

“Vivemos a mudança de uma era, não na era da mudança: a digitalização a serviço do profissional de saúde e do doente é a tônica.”


“A Costomização em massa, humanização com foco na pessoa, o regreso à origem.”


“A genética, a abordagem celular, as imunoterapais: as doença genéticas não raras estão subdiagnosticadas; 1 pessoa em cada 6 pessoas carrega o risco de doença monogênica; o DNA.files que aborda a alteração do DNA é mais um dado substancial para diagnóstico mais cedo; então, porque não sequenciar o gens para utilização ao longo da vida?”


11. Painel: Big Data: como os dados estão transformando o setor de saúde

Moderator: Teresa Magalhães, Coordenadora do Grupo de Trabalho APAH para a Gestão da Informação em Saúde

Speakers:

➢ Micaela Seeman Monteiro, Chief Medical Officer for Digital Transformation at CUF

➢ Sofia Couto da Rocha, Chief Transformation Officer (Head of Innovation & Digital Transformation) at Lusíadas Saúde

➢ João Moreira Pinto, Pediatric surgeon. Chief Innovation Officer at Hospital-Escola da Universidade Fernando Pessoa

➢ Luis Salavisa, Diretor Gestão de Sistemas e Tecnologias Da Informação en Instituto Portugés de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil (IPO Lisboa)


Destaques:

“Criar o self sevice: a AI já existe há 20 anos, na área admnistrativa pode diminuir transtornos, expectativa de atendimento, suavizar o pré-atendimento.”


“A Medicina baseada em evidências são ensaios morosos, não podem ser utilizados com variedade de etnias…”


“A mineração de dados para o diagnóstico é frundamental num cenário cada vez mais inovador, tecnológico e sofisticado. É utilizada em outras áreas, por que na medicina ainda não está estabelecida?”


“Não há estratégia para a utilização do Big Data; a centralização pode resolver, tornar útil a operacionalização de algo disponível.“


“O sistema de saúde em Portugal não possui dados comunicantes.”


“Médicos de diferentes especialidades devem comunicarem-se uns com outros, abrir espaço para uma mudança de cultura, buscar a tecnologia para medicina humanizada.”


“Daqui há 10 anos deveremos falar do que fizemos e não do que deveríamos ter feito.”


CLOSING REMARKS


➢ Ignacio Para Rodríguez-Santana, Chairman of the Board of Trustees of the Bamberg Foundation


“Inovar em técnicas; Inovar para viver melhor tanto no físico como no moral; saúde disponível para todos.”


➢ Mario Mingo Zapatero, Chairman of the advisory board of the Bamberg Foundation


“Inovação consubstancial com medicina e sustentabilidade. Fruto da cooperação de muitas mentes. Somos Europa, necessitamos de muitos eventos como este.”


➢ Ignacio L. Balboa, Member of the board of trustees of the Bamberg Foundation


“Se procurarmos perfeitção podemos alcançar excelência. Matéria prima no nosso trabalho são seres humanos. A medicina é a mais humana das ciências.”