top of page
logo_oponto_news_H2Blue_round_radio_cafe-removebg-preview.png
Noticia e Informacao contextualizadas
00:00 / 03:51
  • Luís Peazê

Aonde estão os meninos e meninas?


Eram as décadas de 60 e 70, dos protestos “Free Speech” em Berkeley ao Festival de Woodstock, e em Fort Lauderdale multidões de jovens, inspirados num filme de George Wells, “Where the boys are?” (1960) com George Hamilton e Connie Francis abandonavam as escolas e as roupas no armário para “experimentar” livremente as explosões hormonais da idade. O filme explorava pela primeira vez a sexualidade dos adolescentes e marcou época. Foi uma revolução e era um sinal de quebra de tabus. Vários naquela época foram quebrados.

O mundo girou rápido, passou por várias crises, mas nunca giraria tão rápido quanto na era digital atual. Da conectividade à quebra de padrões de todos os tipos, sociais e econômicos, ainda estamos tentando entender esta sequência revolucionária em fractais onde tudo pode ser apreendido através de um clique e uma piscada, e quase tudo é muito complexo para entender, pelo menos na velocidade com que acontece.

Vamos sair do armário e falar de turismo?

Um dos padrões tradicionais que não pertencem mais ao mundo atual, são as relações e ligações matrimoniais, ou mesmo passageiras, por exemplo, entre dois indivíduos. Se no passado a sociedade civil mundial tinha leis para assegurar direitos e defender interesses de laços matrimoniais entre indivíduos do sexo masculino e feminino, hoje há mais um componente semântico no arcabouço legal das várias práticas do direito civil. Na hora do recreio das escolas e no Fóruns de sisudos juízes de direito, fala-se de gênero, há um legislativo vertical sobre a união estável e também referendada pela igreja entre parceiros de mesmo sexo e há ainda o esforço de assimilação da sociedade com relação à transgenia, inclusive de crianças.

Esse fenômeno em franca explosão é uma realidade que veio para ficar. Neste contexto a Conversa no Píer encontrou Clovis Casemiro, para nos informar sobre “aonde estão os meninos e meninas no segmento do turismo”, a maior indústria do mundo, maior do que a do petróleo, automóveis e agroindústria juntas.

Clovis Casemiro é o coordenador do capítulo Brasil da IGLTA – International Gay & Lesbian Travel Association, presente no WTM Latin America (São Paulo 4, 5 e 6 de Abril). Marina Barros da Doubleem Eventos & Marketing, representante de Fort Lauderdale no Brasil, além do Bureau de Turismo de Toronto e do departamento de Trade de Hong Kong, pegou a Conversa no Píer pela mão e foi até o stand apresentar o simpático Clóvis quando conheci a sua agenda de eventos de tirar o fôlego.

Sem parar de atender visitantes, já nas primeiras horas do primeiro dia do evento, conversamos, isto é, ouvi um desfile de dados estatísticos de arrepiar, sobre a penetração do segmento Gay na economia ao redor do mundo. Em primeiro lugar, fiquei sabendo que a média de gays na população de cada país do mundo é de 7% e deve-se considerar que não são todos, ainda, que admitem, ou sabem, que são gays. Provavelmente em breve isso não será mais cogitado, pois a tendência galopante é de que para cada um de nós, finalmente, não importará de que lado estejamos, neste imenso banquete que é a vida.

A tentativa de eloquência foi inevitável, pois sempre que mexemos com gente, tudo vem à flor da pele.

A irradiação de Clovis facilitou, é verdade. Não é para menos, nesse mundo competitivo dos negócios, o segmento Gay movimenta bilhões de dólares, e permite uma segmentação que diversifica as ofertas infinitamente com um DNA típico, a qualidade e o cuidado com os detalhes.

Só no Brasil, o interesse oficial ganhou os gabinetes políticos e mesas de reuniões do empresariado de turismo. O Rio Convention & Visitors Bureau, também presente no WTM, participa da candidatura para sediar o Gay Games 2026, estimado para gerar centenas de milhões de dólares.

Onde?

Well, você esteve acostumado a ouvir “San Francisco” ou “Philly" ou "Philadelphia”, mas há Massachusetts, Dallas, yes e New York, Boston, e não poderia ser outra praia a abrigar, Fort Lauderdale, a sede da IGLTV – International Gay & Lesbian Travel Association, com capítulos em 80 países. Não por acaso Fort Lauderdale abrigou também a primeira celebração coletiva de matrimônio de casais gays, em 2015. E, como sempre, depois do primeiro, surgem outros. Há uma vitrine sem fim da rede hoteleira no mundo dedicada a casamentos e lua de mel para o público Gay.

27 April - May 01 Pink Loerie Mardi Gras & Arts Festival 2017 Knysna

13 May - June 10 Greek Gay Sailing Cruises, Mykonos- Santorini- Athens, Greek Islands

14 May - September 24 Temptation Sundays Luxor Hotel & Casino

14 May - 18 CUBA PRIDE WEEK- A TASTE OF HAVANA

26 May - 29 Matinee Las Vegas 2017

05 June - 11 ARN Culture Pride 2017

06 April - 16 Gay China with Zoom Vacations

08 April - 15 Ecuador's Train of Wonders 2017

01 May - 13 Brand g Amazon Discovery

01 May - 10 Gay Morocco with Zoom Vacations

20 May - June 02 GAY ARGENTINA IN A COMPLETE TRIP - Departure May 20th, 2017

01 June - 10 Gay Japan Tour with Zoom Vacations


bottom of page